Data

Animação


"Não tolere o que a Bíblia reprova" (Gilvan, 15.05.2005)

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Escolher a posição correta muda nossa destino: Escolha está do lado do Senhor



          Em nossa caminhada cristã cometemos muitos erros, deslizes e às vezes pensamos em desistir, mas o Senhor sempre nos concede uma nova oportunidade para acertamos e nos posicionarmos ao lado dEle.
          São muitos os relatos bíblicos que ilustram essa verdade, mas de forma resumida, vou apresentar uma que ocorreu há muito tempo atrás, registrado no Velho Testamento.
          A Palavra de Deus revela uma família cheia de problemas, conflitos, crises e, nessa família, dois irmãos tiverem destinos completamente diferentes devido às escolhas que fizeram.
          Lemos que o patriarca Jacó morou um tempo em Salém, cidade de Siquém com sua família (Gn 33:18 à 20) e, mesmo em “terra estranha”, o “altar do Senhor” fora levantado (sobre isso falaremos em outra ocasião), mas  quero destacar o comportamento de seus dois filhos Simeão e Levi, com Lia.
          Diná, filha de Jacó, e irmã de Simeão e Levi , quis conhecer “o mundo”: “E saiu Diná, filha de Lia, que esta dera a Jacó, para ver as filhas da terra - Gn 34:1”. Aqui está o perigo: “conhecer o mundo!”.
          A curiosidade de Diná resultou em seu estupro. Ela foi violentada sexualmente por um jovem daquela terra: “E Siquém, filho de Hamor, heveu, príncipe daquela terra, viu-a, e tomou-a, e deitou-se com ela, e humilhou-a - Gn 34:2”.
          Jacó ficou em silêncio quando soube do estupro de sua filha. Que tragédia essa que ocorreu!...
          Duas famílias envolvidas, comportamento diferentes: o silencio de Jacó, pai da estuprada, e a iniciativa Hamor, pai de Siquém, o “estuprador”, de consertar o que foi feito e logo em seguida, a atitude desumana e cruel de Simeão e Levi.
          Siquém amava Diná e queria casar-se com ela. “Mas a família de Jacó impôs uma condição: “a circuncisão de todos os homens daquela cidade”: “E disseram-lhe: Não podemos fazer isso, dar a nossa irmã a um homem não circuncidado; porque isso seria uma vergonha para nós; Nisso, porém, consentiremos a vós: se fordes como nós; que se circuncide todo o homem entre vós - Gn 34:14,15”
          Isso agradou a família do estuprador, eles não sabiam o que os esperava: E suas palavras foram boas aos olhos de Hamor, e aos olhos de Siquém, filho de Hamor - Gênesis 34:18.
          Imediatamente todos foram circuncidados... em busca de aliança com a família de Jacó.
          Vejam o que Simeão e Levi fizeram: “E aconteceu que, ao terceiro dia, quando estavam com a mais violenta dor, os dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, tomaram cada um a sua espada, e entraram afoitamente na cidade, e mataram todos os homens - Gn 34:25”
          Os homens circuncidados estavam indefesos, devido a intensa dor.
          Simeão e Levi estavam com muito ódio do que fora feito com sua irmã; se vingaram, fizerem uma matança brutal, saquearam a cidade e fizerem as crianças e mulheres de escravos: “Mataram também ao fio da espada a Hamor, e a seu filho Siquém; e tomaram a Diná da casa de Siquém, e saíram. Vieram os filhos de Jacó aos mortos e saquearam a cidade; porquanto violaram a sua irmã. Gn 34:26,27”
          Essa ação de Simeão e Levi, fez com Jacó e sua família saíssem da cidade, com medo das cidades vizinhas.
        Jacó não concordou com a atitude de seus dois filhos: “Então disse Jacó a Simeão e a Levi: Tendes-me turbado, fazendo-me cheirar mal entre os moradores desta terra, entre os cananeus e perizeus; tendo eu pouco povo em número, eles ajuntar-se-ão, e serei destruído, eu e minha casa. E eles disseram: Devia ele tratar a nossa irmã como a uma prostituta? - Gn 34:30,31”
         Já em idade avançada, Jacó já idoso, ao abençoar os filhos Simeão e Levi, deixou claro que não teve participação nesse incidente e que não era o responsável pelas escolhas de Simeão e Levi e em sua benção profética, revelou o destino dos dois: “Simeão e Levi são irmãos; as suas espadas são instrumentos de violência. No seu secreto conselho não entre minha alma, com a sua congregação minha glória não se ajunte; porque no seu furor mataram homens, e na sua teima arrebataram bois. Maldito seja o seu furor, pois era forte, e a sua ira, pois era dura; eu os dividirei em Jacó, e os espalharei em Israel. - Gn 49:5-7”.
          No episodio do bezerro de ouro (Ex 32), Moises fez a convocação: “quem é do Senhor venha ate mim”. Apenas a tribo de Levi tomou posição pelo Senhor: “Pôs-se em pé Moisés na porta do arraial e disse: Quem é do Senhor, venha a mim. Então se ajuntaram a ele todos os filhos de Levi. - Êx 32:26” .
         Isso agradou ao Senhor, era prova de arrependimento. Do lado do Senhor, Ele usa nossas habilidades para o Seu Proposito.
         O Senhor usou a natureza violenta da tribo de Levi para eliminar os idolatras: “E os filhos de Levi fizeram conforme à palavra de Moisés; e caíram do povo aquele dia uns três mil homens.- Êxodo 32:28.
         Diferente de Simeão, os levitas tornaram-se servos do Senhor em uma aliança eterna na qual serial sacerdotes do Senhor (Ex 29:9; 40:15).
        Que grande benção para a tribo de Levi, um novo começo, uma nova posição – dessa vez ao lado do Senhor.
       Essa lição deve servir de exemplo para nós...
       Deus nos abençoe.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Somos Filhos

Deus é soberano. Nada nem ninguém pode detê-Lo ou anular Seu Eterno Propósito. E qual é o Eterno Propósito de Deus? O propósito de Deus para a Igreja não é que ela tenha eventos e mais eventos, grande ou pequeno orçamento; ou que as pessoas e sintam bem ou que se tenha um boa liturgia. Em todos os tempos e eras o eterno propósito de Deus e tornar-nos santos. Quem disse que apenas um ambiente adequado produzirá uma pessoa adequada? Só se pode criar o tipo de vaso que o barro com o qual se trabalha lhe permite criar. 
O barro não é meramente passivo nas mãos do oleiro. O barro reage ao seu toque. Há um tipo de barro flexível, elástico, há também outro quebradiço, difícil de trabalhar O Senhor deseja que todos os homens sejam salvos pelo pleno conhecimento da Verdade, Jesus. Temos nossos filhos biológicos, mas cada pessoa que você conquista para Cristo e o discípula, se torna seu filho espiritual, seu filho na fé. Você tem algum filho espiritual? Como esta a sua atuação na vida desse seu filho espiritual, que pode até ser seu filho biológico? Você tem orado por ele? Tem ensinado a ele a correta Lei do Senhor? O discipulado é a única tarefa que Jesus ordenou aos Seus filhos. 

Os filhos gerados na fé precisam de acompanhamento até atingirem à maturidade espiritual. Devemos ser conhecidos por aquilo que somos e não por aquilo que temos ou possuímos. Também não devemos esquecer que existem coisas que o dinheiro não pode comprar, como o Juiz dos Vivos e dos Mortos (At 10:42) e uma vida de comunhão e intimidade com Deus, que expressam uma espiritualidade genuína e verdadeira (At 8.18-20; Precisamos urgentemente investir em vidas; e nenhum esforço é em vão quando feito em prol do Reino. Deseje prioritariamente ser imitador do Senhor, amando Sua Palavra, vivendo Sua Vontade até atingirmos a "estatura de Cristo". 

Isso implica em diariamente desenvolvermos nossa salvação com temor e tremor (Fil 2:12), negando a nós mesmos e tomando a cruz em nossa vida diária (Lc 9:15-19). Quando geramos filhos espirituais estamos levando às pessoas a Vida de Deus. E como gerar filhos espirituais se não conhecermos os assuntos do Reino de Deus? O Senhor solicita que toda a nossa vida esteja voltada para o Reino e oramos a Ele para que o Espírito aumente a nossa visão espiritual. Na Palavra aprendemos a necessidade de receber o Reino de Deus e de entrar nele. O Senhor Jesus nos disse: "... Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, de maneira nenhuma entrará nele (Mc 10:15)". 

Essa é a realidade espiritual revelada na Palavra: "O Espírito nos conduz ao Reino e o Senhor estabelece Seu Reino em nós". Dessa forma, quando cremos no Senhor, ◇nosso espírito foi recriado (vivificado porque estava morto em delitos e pecados)

◇nossa alma (mente, vontade e emoção) está sendo transformada pelo agir do Espírito em nós;
◇e quando o Senhor voltar, nosso corpo será transformado. ALELUIA.

Assim, como filhos de Deus, busquemos ter uma: ▪fé firme; ▪amor inabalável; ▪ardente esperança pela volta de nosso Senhor Jesus Cristo. Somos estrangeiros aqui; estamos fora de nossa origem em Deus. 

O próprio Jesus nos disse: "...Eles não são do mundo (Jo 17:26). Isso implica que, como filhos espirituais, os valores, as tradições e cultura, o modo de viver desse mundo não nos interessa. Precisamos ser fiel ao Senhor, preservando os valores do Reino e não tomando o "forma desse mundo" (Rm 12:1; Rm 12:1) Jesus, nesse exato momento, que saber se o amor que dizemos ter por Ele, é superior a qualquer coisa. O nosso amor por Jesus precisa ser incomparável, maior do que as riquezas desse mundo. Nosso amor por Jesus precisa ser inegociável. Jesus constantemente coloca à prova nossa capacidade em amá-Lo em comparação a tudo que se deseja nessa vida (fama, dinheiro, bens, status, posição, etc.). Jesus quer ocupar o primeiro lugar no trono do seu viver. 

Ele é superior aos seus e aos meus projetos e objetivos. Coloque o Reino de Deus como prioridade máxima em toda a sua existência. Será que Jesus tem algum motivo para acreditar que nós realmente O amamos? Dizer que ama a Jesus, hoje em dia, tem sido tão vulgar, tão vazio, tão sem significado. 

Dizemos que amamos, mas nosso discurso não se alinha com nossa prática. Amar a Jesus sempre está ligado à renúncia, a negar muitas coisas. O que se tem hoje é um “amor barato”, amor sem esforço.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Deus não Desiste de Você



           Quando o Senhor Jesus Cristo esteve na Terra, Ele nos trouxe a Palavra, Ele mesmo É a Palavra.
          A Palavra conhecida como o “Sermão do Monte”, representa o Evangelho do Reino, a síntese da Vontade de Deus, e está registrado em Mateus de 5 à 7. Nesse sermão, Jesus apresenta o caminho que devemos seguir: “tomar a cruz, negar-se a si mesmo e segui-Lo incondicionalmente” (Mt 16:242).
          Somos conclamados a propagar o Evangelho do Reino, fazendo discípulos. Nessa propagação precisamos viver e ensinar a Palavra de Deus e isso deve sem feito sem nos prendermos à formalidade da doutrina e aos desejos do homem.
          Devemos viver o amor.
          Certa ocasião, em uma aula de EBD (Escola Bíblia Dinâmica) alguém nos perguntou como podemos seguir a Jesus?
        Uma pergunta que para alguns pode parecer “boba”, mas que nos revelou o desejo de um jovem em acertar “A Porta”.
        Na verdade, o próprio Jesus nos forneceu orientação segura de como “tomar a cruz e negar a nós mesmo e assim segui-LO”.
     Em nosso viver diário, precisamos aplicar a Palavra em todas as áreas de nossa vida, mortificando o nosso velho homem e a nossa vontade.
Andar baseado no Caminho é o que nos garante Santidade. Essa Santidade é a solução para o nosso viver humano.
        Deus não desiste de nós e para ilustrar essa verdade vou exemplificar com um breve resumo sobre a vida de Abrão.
       O Senhor Deus foi muito paciente com ele. Se não fosse o chamado do Senhor, Abraão não teria deixado seu lugar de idolatria. Ele precisou ser chamado duas vezes pelo Senhor para atender Sua Convocação (Gn 11:31 à 32; 12:1 e At 7:1 à 2).
       O Senhor não desistiu de Abraão mesmo quando ele deixou a terra para onde o Senh0r o havia mandado ir e por causa da fome deixou de confiar em Deus (Gn 12:10) e em seguida “desceu” para o Egito e negociou sua mulher por bens (Gn 12:15 à 16). Ele também mentiu e envergonhou a Deus, e foi repreendido por um gentio, que não tinha nenhum compromisso com o Senhor (Gn 12:18-19).
      Abraão deu muitas mancadas, mas Deus não desistiu dele e também não desiste de nós.
        Como se isso não bastasse, ele ainda resolveu ouvir os conselhos de sua mulher e não esperou o tempo determinado por Deus que havia lhe prometido Isaque (questão de fé) e Abraão junto com sua mulher deram um “jeitinho” carnal e providenciaram Ismael (que representa o esforço humano em querer dar uma ajudinha a Deus). Mas a promessa se refere a Isaque (Gn 12:2; 15:2).
       Sobre isso, falarei mais detalhadamente em outra ocasião.
       Essa tentativa humana, esse esforço carnal de gerar filho e não esperar o tempo da promessa que o Senhor estabelecera fez com que Abraão ficasse sem a presença de Deus por treze anos.
       Mas foi o Senhor que não desistiu de Abraão e o buscou novamente (Gn 16: 15-16; 17:1).
       Toda iniciativa começou e começa no Senhor. É um amor incondicional.
       É um erro pensarmos que Abraão venceu porque apenas tinha muita fé. Ele realmente tinha fé. Mas Abraão só venceu porque o Senhor trabalhou por ele, não desistiu dele e consumou a fé desse grande exemplo.
       Hoje somos conclamados a olharmos firmemente para Jesus, o Autor e Consumador da nossa fé (Hb 12:2) e o Senhor quer nos restaurar pela Sua Palavra, acessível a todos nós.
       Entretanto, tudo o que o Senhor Deus quer restaurar, Satanás tenta danificar e ele agora que anular o propósito de Deus em resgatar e restaurar você. Mas nenhum projeto, ou plano do Senhor pode ser frustrado.
       O Senhor espera que nós, Seus filhos, andemos na Luz como Ele na Luz está. Aqueles que andam fundamentados na Palavra de Deus vivem na Luz, andam na Luz e são filhos e guerreiros da Luz.
       Os que hoje andam na Luz viverão eternamente desfrutando da Luz eterna – Jesus.
     Deus não desiste de você e agora te oferece plena vida de gozo e paz. Se separe do pecado e tenha vitoria sobre ele.
     A vida de Deus está acessível a nós.
     O melhor de Deus não esta por vir. Ele já veio e se chama Jesus
     Cristo é a nossa vida (Col 3:4) e nos coloca acima de todas as coisas, na primeira classe da vida.
     A Ele a Glória.


sábado, 29 de abril de 2017

Vaso de Barro

Deus é soberano. Nada nem ninguém pode dete-Lo ou anular Seu Eterno Propósito.
E qual é o Eterno Propósito de Deus?
O propósito de Deus para a Igreja não é que ela tenha eventos e mais eventos, grandes ou pequenos orçamentos; ou que as pessoas se sintam bem ou que se tenha um boa liturgia. 

Em todos os tempos e eras o eterno propósito de Deus é tornar-nos santos.

Quem disse que apenas um ambiente adequado produzirá uma pessoa adequada?
Só se pode criar o tipo de vaso que o barro com o qual se trabalha lhe permite criar.
O barro não é meramente passivo nas mãos do oleiro.
O barro reage ao seu toque.
Há um tipo de barro flexível, elástico, há também outro quebradiço,  difícil de trabalhar.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Igreja Triunfante

Uma Igreja vitoriosa e triunfante no cumprimento de sua missão tem convicções objetivas sobre a divindade de Jesus, sobre o fato de ele ser o Filho de Deus e sobre o seu poder e a sua missão salvífica. 
É urgente a necessidade de resgatarmos a cruz como centro da mensagem que proclamamos, e voltarmos a viver como a Igreja Primitiva, pregando o arrependimento com entendimento das Escrituras Sagradas e agindo no poder do Espírito Santo, com sinais e maravilhas. 

 Mas isso só conseguiremos se vivenciamos a experiência de arrependimento e fé para a salvação, vivendo na total dependência do Espírito Santo; somente pessoas salvas e que realmente saibam o significado da salvação em suas vidas estão habilitadas para a pregação do evangelho que alvoroça o mundo e que faz a Igreja vitoriosa em Cristo.



terça-feira, 3 de janeiro de 2017

O Fruto do Penoso Trabalho de Jesus (Is 53:11)


Quando aceitamos Jesus em nossa vida e recebemos Sua Maravilhosa Graça, Deus nos resgata para Si Mesmo e deseja que amadureçamos a fim de reinarmos com Ele. O Reino de Deus começa em nós quando passamos a ser Casa espiritual de Deus (I Pe 2:4); o Senhor não habita em construções feitas por homens (At 7:48) Qual tipo de casa você tem edificado ao Senhor? O fundamento de nossa habitação precisa ser Cristo (I Co 3:10-11). 

E a casa espiritual desejada pelo Senhor é uma questão de escolha de vida. E isso independe dos métodos humanos. A Palavra do Senhor é suficiente para regar nossa lavoura; o Rio de Deus quer nos purificar. Mergulhe nesse Rio de Vida. Quando a semente do Senhor, plantada em nós, frutifica, o resultado é a edificação, é nos conformamos em "casa espiritual " (2 Co 4:6; I Co 3:6-9). Por meio do agir do Senhor, somos feitos "pedras vivas" para somarmos ao Edifício de Deus, a Casa Espiritual, a Assembléia dos Santos, em meio ao Fogo e Glória. Esse é o fruto do penoso trabalho de Jesus, mas ainda há outros frutos que quero mencionar, fundamentados em I Pe 1:23; 2:9). 

Quando aceitamos o Propósito do Pai, passamos a ser: 

■ Nação Santa; 

■ Raça Eleita; 

■ Sacerdócio Real; 

■ Povo de Propriedade Exclusiva do Senhor. 

Em nossa natureza humana não há como cumprir o Propósito do Senhor. Por isso, o Filho de Deus veio a essa dimensão, tempo e espaço, para transformar o que é terreno em celestial e espiritual. O fruto do penoso trabalho de Cristo é estabelecer o Reino de Deus aqui na Terra e nos preparar para o Seu Reino. 

Em nossa natureza humana, não há como agradar ao Senhor e o próprio Senhor procura homens espirituais, adoradores em espírito e em verdade. Somos aperfeiçoados porque Cristo já resolveu definitivamente a questão do pecado. Há um lugar preparado para o homem aperfeiçoado (Hb 2:5-8) e o Senhor deseja que sejamos um com o Seu Filho (I Cor 6:17).

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

A Terra treme diante do Senhor, mas o homem não teme a Deus


Não há como negar que vivemos em um mundo atribulado com o mundo e seu sistema mergulhado nos mais diversos problemas. Esses problemas tem se manifestado tão intensamente na política, na religião, na economia, no setor publico, no setor privado. Enfim, tudo está um caos.
Do ponto de vista da Geologia (disciplina que cursei quando da minha graduação e que estuda a ação das forças naturais sobre o planeta e seus efeitos, como a erosão e a desertificação, na Sismologia) os terremotos sempre estiveram presentes no Planeta Terra e ainda de acordo com a Sismologia ocorrem em média cerca de três milhões de tremores de terra por ano o que corresponde a uma media de um terremoto a cada 11 segundos.
A maioria desses tremores não sentidos por nós, mesmo tendo alta magnitude na Escala Richter (que vai de 1 a 9) por         que a maioria ocorre no terreno marítimo  ou em regiões não habitadas.
O Senhor Jesus ao falar sobre Sua Segunda Vinda nos disse: “...e haverá  terremotos, em vários lugares. Mt 24:7” e isso esta acontecendo freqüentemente em nossos dias em escala cada vez maior, dizimando varias vidas.
Certamente estamos vivendo às vésperas da volta de Jesus e o coração endurecido do homem, resultado do esfriamento do amor, também aponta nessa direção.
Os terremotos funcionam como um alerta do Senhor. O Deus Todo Poderoso esta indignado com que estão fazendo da e na Terra. Esses terremotos devem chamar nossa atenção para o que o Senhor quer: “Então a terra se abalou e tremeu; e os fundamentos dos montes também se moveram e se abalaram, porquanto se indignou (Sl 18:7) .  
Tudo o que acontece na Terra, em todos os sentidos, é permissão do Senhor. E a nível catastrófico, é para que o homem se arrependa: “Do Senhor dos Exércitos serás visitada com trovões, e com terremotos, e grande ruído com tufão de vento, e tempestade, e labareda de fogo consumidor Isaías 29:6”
Assim como a Terra treme na Presença do Senhor o homem também precisa temer ao Deus Todo Poderoso “Assim diz o SENHOR: O céu é o meu trono, e a terra, o estrado dos meus pés; que casa me edificareis vós? E qual é o lugar do meu repouso? Porque a minha mão fez todas estas coisas, e todas vieram a existir, diz o SENHOR, mas o homem para quem olharei é este: o aflito e abatido de espírito e que treme da minha palavra”. (Isa 66:1-2)
Precisamos entender os avisos do Senhor.
Talvez você esteja passando por um terremoto agora, nesse exato momento: um terremoto na vida conjugal, um terremoto na vida financeira, um terremoto no trabalho e até mesmo um terremoto na igreja. Para acalmar essas ondas agitadas o Senhor nos chama a um relacionamento pessoal com Ele, passando pela porta do arrependimento.
Podemos ate estar no “vale da sombra da morte”, mas nada nem ninguém é capaz de tirar a Paz que Jesus nos dá. A viagem pelo “mar da vida” poderá apresentar diversas intempéries, mas a chegada ao nosso destino final é garantida, quando tememos ao Senhor.
Para nós é confortador e estimulante saber que Jesus “anda sobre o mar” (Jo 6:19); todo problema, o mar bravio está debaixo dos Seus Pés – Jesus domina e resolve qualquer tipo de problema.
A bonança só ocorre quando Jesus esta no nosso barco. Sua Presença em nossa vida nos coloca na primeira classe da vida e nos dá Paz na jornada diária.
Precisamos reconhecer que os terremotos dessa vida, as tempestades, os ventos e as ondas agitadas não são nada diante do Poder de Jesus. Com Jesus, a tempestade sempre dará seu lugar a um dia de Sol.
O temor do Senhor na vida do homem se inicia quando ele permite que o Jesus cuide de sua vida, confiando plenamente no perdão obtido na cruz e no sacrifício remidor do Cordeiro de Deus.
Os terremotos naturais que surgem na Terra ocorrem sem a vontade e permissão do homem, mas o Senhor continua no controle de tudo.
Tudo esta sujeito a Cristo, por isso não tente resolver seus problemas sozinhos – confia no Senhor de todo o seu coração. Ele é Poderoso para nos fazer triunfar, restaurando nossa sorte.
Abra mão de todo e qualquer esforço na tentativa de resolver seus problemas. Entregue tudo, sem reserva, nas mãos do Criador do Universo. Deus só agirá quando desistirmos de querer fazer tudo por nós mesmo ou para nós mesmo.