Data

Animação


"Não tolere o que a Bíblia reprova" (Gilvan, 15.05.2005)

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Alimento Bíblico 51: Precisamos Ser Útil ao Senhor



         Em sua orientação ao discípulo Ananias, o Senhor disse que Saulo seria um vaso escolhido e útil para fazer Seu Nome conhecido entre todos os povos (At 9:15). Qualquer servo de Jesus deve se preocupar em fazer a vontade de Deus da forma que Ele estabeleceu e não da nossa e também fomos chamados para sermos vasos de misericórdia, conforme registrado em Rm 9:23-24: “a fim de que também desse a conhecer as riquezas da sua glória em vasos de misericórdia, que para glória preparou de antemão,  os quais somos nós, a quem também chamou, não só dentre os judeus, mas também dentre os gentios?”
          Na Igreja do Senhor, na Grande Casa,visível aqui na Terra, podemos perceber quatro tipos de vasos que podem ser iguais ou não na aparência e formato, mas o só o Senhor pode identificar a essência e conteúdo. Resumidamente vamos ver esses quatro tipos de vasos, conforme registrado em II Timóteo 2:20: “Ora, numa grande casa não há somente vasos de ouro e de prata; há também de madeira e de barro. Alguns, para honra; outros, porém, para desonra”. Esses tipos de vasos são tão atuais que até nos impressiona a profundidade da revelação bíblica e nos leva a refletir que tipo de vaso somos na presença de Deus?
         Antes de continuar, quero, deixar claro que o que o apóstolo Paulo disse a jovem pastor Timóteo no versículo acima (II Tm 2:20) se refere à vida normal da Igreja, a uma reunião normal em um dia de culto, ao ajuntamento solene; onde há vasos das mais diversas formas e materiais (crentes e descrentes, salvos e perdidos, bons e maus, trigo e joio). Na Igreja de Jesus, Imaculada e Invisível, só há apenas vasos de honra.
         Devemos estar à disposição de Jesus, como vasos de honra para sermos usados por Ele e somente Ele deve encher esses vasos com o conteúdo mais importante do Universo – a maravilhosa Presença do Espirito Santo.
         Pelo simples fato de sermos vasos escolhidos pelo Senhor para diferentes obras em Seu Eterno Proposito, devemos depender unicamente dEle, tendo em mente que o que diferencia um vaso de honra de um vaso de desonra não é o seu material primário, sua aparência, se ele é de ouro ou de barro, mas o seu conteúdo e a forma como ele é utilizado.
          Não é o ser vaso de ouro e prata que torna o homem vaso para honra. E não é o ser vaso de pau e barro que torna alguém vaso para desonra. O importante é o uso, o conteúdo e a essência.

  • 1º Tipo – Vaso de Ouro:

          Representa o servo controlado pela vida de Deus; o Espírito Santo o guia e orienta. Em Isaías 66:20, o Senhor nos orienta que se quisermos ser utilizado por Ele, no templo ou fora dele, devemos  primeiro passar por um processo de purificação – “...em vasos puros à Casa do SENHOR” .O único vaso de ouro de que tenho conhecimento foi o Senhor Jesus – Varão Perfeito, Aprovado em Obras e Palavras.

  •  2º Tipo – Vaso de Prata:
          Representa o cristão que ainda não negou a vida da alma; em algumas situações, ele ainda vive controlado pelos seus impulsos naturais, mas ele está desenvolvendo sua salvação (Fl 2:12). O Senhor nos orienta a: “Tira da prata as escórias, e sairá vaso para o fundidor;” (Pv. 25.4). Essa escória, conforme Ezequiel 22:18, representa o desvio da Verdade, o afastamento de Cristo e de Sua Palavra. A Centralidade do Evangelho de Cristo está longe de muitos púlpitos e há muitos “sim” aos apelos do mundo. O profeta Ezequiel diz: “Filho do homem, a casa de Israel se tornou para mim em escória; todos eles são cobre, estanho, ferro e chumbo no meio do forno; em escória de prata se tornaram. (Ez 22:18)
            O servo que ainda não se permite purificar pelo agir do Espirito Santo é como a terra seca e sem chuva. Isso é o resultado da ausência de perdão e do arrependimento. Um cristão sem arrependimento é como a terra sem chuva. O que quero dizer é que nem tudo que fazemos para Deus recebe aprovação de Deus. O Cristianismo Puro é Verdadeiro com o remédio com a normalidade do evangelho light e a força do pecado está em I Jo 5:12 -  a Vida de Deus é uma pessoa que habita em nós. “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida.” 

  • 3º Tipo – Vaso de Madeira:
          Representa o cristão que ainda tem buscado “interesses desse mundo”, e que ama o “presente século”. Sua preocupação ainda são os “negócios dessa vida”, como ter sucesso, uma boa profissão... Essas coisas em si não são ruins, mas não devem ser nossa prioridade. Nosso objetivo deve ser o Reino de Deus.
         Aponta também para um coração dominado pela força humana, e como enganoso é o nosso coração; há muita coisa encoberta, estragada pela normalidade do pecado.

  • 4º Tipo – Vaso de Barro:
          Representa aquele cristão frágil, que não confia em suas próprias virtudes. Constantemente se permite quebrar nas mãos do Senhor e ser mudado na “Olaria de Deus”. Entretanto, ele deve apenas se quebrar nas Mãos do Senhor e não deve ser “cristão sensível”, “cheio de dedos” ou de “não me toque”.  Não deve ser do tipo de que com qualquer “ofensa” se desvia. Se ele for frágil e não resistir a entraves do dia-a-dia não conseguirá segurar por muito tempo o conteúdo que lhe é próprio. Nessa condição apenas há “adesão ao evangelho”, ainda não houve conversão genuína. A satisfação dos desejos canais é a prioridade experimentando o prazer do pecado.
          Mesmo que você ainda se enquadre na condição de vaso de barro, ou de qualquer outro material, permita que o Senhor te restaure para que o Tesouro habite em você: "Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós.(I Cor 4:7)"
          Em Jeremias 18: 1 à 6, somos comparados a vasos na mão do oleiro. Somente Ele, O Oleiro pode escolher, projetar, limpar secar e purificar o barro – até que o vaso esteja pronto para ser utilizado.
          No arranjo de Deus, Paulo representa a reforma de um vaso, antes impregnado pelas marcas da religiosidade, do orgulho, da arrogância e obediência irrestrita a “lei”. Jesus transformou o vaso, de Saulo para Paulo, de perseguidor a perseguido. Somente Jesus pode fazer tal mudança. O oleiro tirou suas escorias o habilitou em um vaso limpo e pronto para uso. “Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra? (Rm 9:21)
          Entre nós cristãos, não há dúvidas que o Senhor Deus é o oleiro, - "Mas agora, ó SENHOR, tu és nosso Pai; nós o barro e tu o nosso oleiro; e todos nós a obra das tuas mãos" (Is 64:8).
Fomos projetados partir do barro, corpo, alma e espirito. Essa é a nossa matéria prima inicial. Todos os homens são provenientes do barro, (Gn 2:7) – salvos e perdidos, tiveram origem em Deus "... da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?" (Rm 9:21).


        
Quem são os vasos para honra e os vasos para desonra? Quando é definida a categoria de honra e de desonra?
          O que podemos perceber, ao estudar a Carta de Paulo aos cristãos de Roma (especificamente o capitulo 8 e 9) e outros textos bíblicos no seu devido contexto, concluímos cinco verdades:
  •  Todos os homens são vasos, independente de seu estado eterno – salvo ou perdido;
  • Fomos projetados vasos para conter Algo ou Alguém;
  • Os homens que ainda não se converteram a Cristo são vasos para desonra;
  • Os que foram alcançados pela Maravilhosa Graça do Evangelho e aceitaram Cristo como Único e Suficiente Salvador pessoal são vasos para honra;
  • Todos somos “vaso de desonra” no nascimento natural, porque nascemos com a natureza adâmica. Quando passamos pela Casa do Oleiro – nosso vaso é quebrado, nascemos de novo e somos habilitados em vasos de honra.
           Deus é o Oleiro e Ele tem poder sobre o barro. Não podemos e nem devemos questionar a soberania e o poder de Deus: "Ai daquele que contende com o seu Criador! O caco entre outros cacos de barro! Porventura dirá o barro ao que o formou: Que fazes? Ou a tua obra: Não tens mãos?" (Is 45:9).
           Na diversidade desses vasos, percebemos que nem todos conseguem ser útil ao Senhor na manifestação de Seu Reino. Mas Deus, na riqueza de sua Graça, nos orienta em Sua Palavra como o vaso, independente de seu material primário, pode ser purificado e ser útil a Ele no Seu Ministério.
         Vou apresentar resumidamente cinco orientações de Deus para que o vaso possa ser purificado.
  • Ø  1ª Orientação: Ler a Bíblia e orar constantemente;
          Passo fundamental para aqueles que querem agradar a Deus, vencendo o mundo, a carne e o diabo.

  • Ø  2ª Orientação: Fugir da idolatria;
          Em I Coríntios 10: 7 à 10, lemos: “Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles; porquanto está escrito: O povo assentou-se para comer e beber e levantou-se para divertir-se.  E não pratiquemos imoralidade, como alguns deles o fizeram, e caíram, num só dia, vinte e três mil. Não ponhamos o Senhor à prova, como alguns deles já fizeram e pereceram pelas mordeduras das serpentes.Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador”. Mesmo que não aceitemos, a idolatria está associada a comer, a beber, a divertir-se. Necessidades básicas dos seres humanos podem ser fontes de idolatria se ocuparem o lugar de Deus em nosso coração – O Senhor deve sempre ocupar o primeiro lugar.
          O nosso inimigo tenta de todas as formas preencher nosso coração com aquilo que não agrada a Deus. Ele que nos levar a idolatria e nos seduzir com “prazeres transitórios”. Entretanto, Jesus tem muito mais a oferecer.

  • Ø  3ª Orientação: Purificar-se dos erros
          Precisamos ir ao Senhor diariamente, permitindo que Sua Luz nos ilumine (II Cor 13:5), confessando e abandonando tudo que não agrada ao Senhor.

  • Ø  4ª Orientação: Fugir das paixões da mocidade
          O cristão precisa tomar atitude frente aos desejos da carne e isso implica em mudança de comportamento e de hábitos. Precisamos nos purificar para evitar a morte espiritual (Lv15:31).

  • Ø  5ª Orientação: Não alimentar questões que causam divisões
          Devemos resistir às investidas de Satanás “porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo (II Cor 10:4-5). Que poderosa verdade está registrada nessa porção da Escritura. É a nossa estratégia de guerra na destruição das fortalezas (hábitos, pecados e atitudes), destruição de conselhos (sofismas – mentiras com aparência de verdade) e destruição de toda altivez (barreiras de orgulho e exaltação, capazes de manter a s pessoas nas trevas),
          “Antes, santificai ao SENHOR Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós; (I Pe 3:15)
          À medida que resistimos ao inimigo ele foge de nós (Tg 4:7). Precisamos nos purificar das contendas de palavras e dos falatórios inúteis que produzem maior impiedade (II Tm2:14 e 16). Não sigam ao exemplo de Himeneu e Fileto, que não conservaram o modelo das verdadeiras Palavras de Cristo e se desviaram da Verdade do Evangelho (II Tm1:13 e 18).
          Em II Timóteo 2:21 à 23: “Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar destes erros, será utensílio para honra, santificado e útil ao seu possuidor, estando preparado para toda boa obra. Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor. E repele as questões insensatas e absurdas, pois sabes que só engendram contendas” vemos os três estágios finais que mencionei acima se quisermos ser purificados e vasos uteis não Mãos do Mestre.
         Para sermos uteis são Senhor é necessário, na seguinte ordem: purificar-nos, fugir e resistir. Esses três pedidos do Senhor, é a certeza que somos libertos do cativeiro, conforme está registrado   em II Tm 2:26 – o livramento dos laços do diabo: “... livrando-se eles dos laços do diabo...”      
          Nada nem ninguém pode ser comparado ao nosso Deus; Ele está esperando nosso genuíno arrependimento para poder nos capacitar a sermos uteis a Ele. A Vida de Deus liberada a nós na Pessoa de Seu Espirito Santo nos liberta da escravidão do mundo, da carne e do diabo e nos habilira para sermos vasos de honra na Presença de Deus.
          O Senhor Deus os convida a vivermos em comunhão “uns com os outros”; a negarmos a nós mesmos e viver uma vida com propósitos que O glorifique; esse é o desenvolvimento de nossa salvação com temor e tremor. – “Fil 2:12:  Assim, pois, amados meus, como sempre obedecestes, não só na minha presença, porém, muito mais agora, na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor”
          Meu querido irmão, seja um vaso obediente e fiel, procure ser um vaso de valor, não valor na aparência, mas valor no conteúdo. Permita que Jesus libere tudo em sua vida - as riquezas da glória de Deus. Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra; (I Ts. 4.4).
.
  • Afirmativa-Chave:O que diferencia um vaso de honra de um vaso de desonra não é o seu material primário, sua aparência, se ele é de ouro ou de barro, mas o seu conteúdo e a forma como ele é utilizado. Não é o ser vaso de ouro e prata que torna o homem vaso para honra. E não é o ser vaso de pau e barro que torna alguém vaso para desonra. O importante é o uso, o conteúdo e a essência.

  • Pergunta Padrão: Quem são os vasos para honra e os vasos para desonra? Quando é definida a categoria de honra e de desonra?

Unidos na mesma unção, na esperança da salvação.
Gilvan Silva Santos, servo do Deus Altíssimo em espírito, alma e corpo (I Tes 5:23)
Itabuna-Bahia 01.10.2013 (5h25min)
[gilvansilva00@hotmail.com; (73) 9191-0910; 8825-1811; 9995-4551]
Siga-me no Twitter: http://twitter.com/Gilvan1973_BA




Nenhum comentário:

Postar um comentário