Data

Animação


"Não tolere o que a Bíblia reprova" (Gilvan, 15.05.2005)

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Alimento Bíblico 48: “Tu Me Amas?”. Parte I



         A vida de Pedro, discípulo de Cristo, tem muito a nos ensinar. Como ele teve experiências profundas com Jesus!
         Quero basear essa nossa reflexão no diálogo que Jesus teve com Pedro logo após Sua Ressurreição. Esse foi um momento de mais íntima comunhão de Pedro com Jesus, foi uma das últimas vezes que Pedro havia visto o Senhor. Esse diálogo está registrado em João 21:15 à 17: “Depois de terem comido, perguntou Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes outros? Ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Ele lhe disse: Apascenta os meus cordeiros. Tornou a perguntar-lhe pela segunda vez: Simão, filho de João, tu me amas? Ele lhe respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Pastoreia as minhas ovelhas. Pela terceira vez Jesus lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro entristeceu-se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo. Jesus lhe disse: Apascenta as minhas ovelhas.
          O texto de João 21 é muito profundo e são muitas as lições que podemos tirar daquele episódio, mas o Espirito Santo nos orienta a antes de entendermos o porquê da pergunta de Jesus se Pedro o amava ou não, entendermos que tipo de vida Pedro levava antes de seu encontro com o mestre.
          Pedro tinha uma vocação secular, um negócio, antes de conhecer a Jesus e após a ressurreição do Mestre ele tentou voltar àquela velha profissão. Ele havia perdido a esperança. Ele estava arrasado por ter negado Jesus por três vezes e já se esquecera de que o Senhor já havia sido morto e que também já ressuscitara dos mortos, mesmo já sendo a terceira vez que o Senhor se manifestara aos Seus discípulos.
          Que tipo de negócio Pedro precisava abrir mão para ser um “aprendiz” do Mestre? O que eu tenho que abrir mão para conhecer mais e mais a Jesus?
          Em Lucas 5: 1 à 11, vemos como o Senhor comissionou Pedro para o ministério especifico e alterou radicalmente o seu estilo de vida, e nessa primeira parte dessa reflexão, vamos nos deter nesse episódio. Lucas registra: “Aconteceu que, ao apertá-lo a multidão para ouvir a palavra de Deus, estava ele junto ao lago de Genesaré; e viu dois barcos junto à praia do lago; mas os pescadores, havendo desembarcado, lavavam as redes. Entrando em um dos barcos, que era o de Simão, pediu-lhe que o afastasse um pouco da praia; e, assentando-se, ensinava do barco as multidões.   Quando acabou de falar, disse a Simão: Faze-te ao largo, e lançai as vossas redes para pescar. Respondeu-lhe Simão: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos, mas sob a tua palavra lançarei as redes. Isto fazendo, apanharam grande quantidade de peixes; e rompiam-se-lhes as redes. Então, fizeram sinais aos companheiros do outro barco, para que fossem ajudá-los. E foram e encheram ambos os barcos, a ponto de quase irem a pique. Vendo isto, Simão Pedro prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, retira-te de mim, porque sou pecador. Pois, à vista da pesca que fizeram, a admiração se apoderou dele e de todos os seus companheiros, bem como de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram seus sócios. Disse Jesus a Simão: Não temas; doravante serás pescador de homens. E, arrastando eles os barcos sobre a praia, deixando tudo, o seguiram.
          Em todos os momentos e em qualquer lugar, a motivação de Jesus era sempre liberar a Palavra de Deus. Isso também ocorrera em Genesaré (Lc 9:1).  A multidão em Genesaré estava faminta da Palavra de Deus e “apertavam” Jesus. Será que você tem despertado nas pessoas próximas à você essa fome da Palavra de Deus?
          Havia muitos barcos em Genesaré. Entretanto, em meio a tantos barcos, tantos pescadores cansados do labor diário, tantos “oprimidos” pela tirania do império dominante, Jesus enxerga, de forma diferente dois barcos; justamente um desses barcos é o de Simão Pedro. Simão estava ocupado lavando suas redes, depois de mais um dia de trabalho. Essa era a rotina normal de Pedro: a pesca. Jesus nunca chamou para o Seu Ministério ninguém desocupado.
          O Senhor Jesus escolheu entrar no barco de Pedro e ainda o pediu que ele o afastasse “um pouco mais da terra”. Esse pedido do Senhor é muito esclarecedor. E Pedro obedeceu à risca ao primeiro comando do Cristo.
          No barquinho de Pedro estava a pessoa mais importante do Universo, que grande privilégio Pedro estava tendo. O Senhor utiliza o barco de Pedro e ministra os ensinamentos do Reino de Deus. Pedro poderia estar perfeitamente atento às Palavras de Jesus; não acredito que ele estivesse disperso, desatento, como muitos hoje ao ouvirem à Palavra de Deus. Permita que o Senhor Jesus utilize “seu barco” e fique atento ao que Ele esta liberando para a sua vida.
          Estava chegando um dos momentos mais importante da vida de Pedro, quando ele finalmente iria descobrir quem É que estava em seu barco e quem ele realmente era. O Senhor Jesus dá um segundo comando, solicitando que Pedro vá com o seu barco para o “mar alto” e “lance as suas redes”. Era o momento de acreditar somente nas Palavras de Jesus, na Provisão de Deus. Jesus sabia que Pedro era um pescador experiente e que confiava muito na força de seu braço. Jesus também sabia que Pedro trabalhou à noite toda e nenhum peixinho” ele apanhou. O Senhor sempre irá nos desafiar nas áreas em que mais temos habilidade para nos mostrar o quanto precisamos dEle. Eu nada sou sem Jesus.
          Pedro relata a Jesus que a pescaria naquele dia foi muito frustrante. Trabalharam a noite toda e nada havia pescado. Pedro também deixou muito claro que estava disposto a obedecer a Voz do Senhor. A presença de Jesus em nosso barco, em nossa vida, elimina qualquer razão para o medo. Jesus nos encoraja e nos faz ver a vida de uma perspectiva muito além daquilo que enxergamos, imaginarmos ou sonhamos.
          Como Simão Pedro foi obediente à Palavra de Jesus. Ele abriu mão de toda sua experiência como pescador e obedeceu, sem reservas, ao comando de Cristo. “Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos, mas sob a tua palavra lançarei as redes”. Em qualquer situação, ainda que a “maré não esteja para peixe”, vale a pena confiar em Jesus. Jesus sempre nos surpreende. De quantos peixes você está precisando? A quantidade de peixes que o Senhor irá liberar para você corresponde à medida exata de sua fé nELE e em Seu Poder.
         Quando você é obediente à Palavra de Deus, sendo fiel a Ele, os peixes naturalmente virão para a sua rede em quantidade ilimitada que até dará para você abençoar os outros. A benção da enorme quantidade de peixe não ficou apenas com Pedro, ele prontamente quis dividir com os seus companheiros, sócios e amigos “Então, fizeram sinais aos companheiros do outro barco, para que fossem ajudá-los”. Que tipo de sinal você está fazendo às pessoas que estão perto de você?
          Que grande lição aprendemos aqui: o que temos e recebemos do Senhor deve ser compartilhado (Lc 9:7). Mesmo Jesus estando presente no barco, nenhum anjo viria ajudar a Pedro recolher os peixes. Precisamos da ajuda uns dos outros. E como eu preciso de cada irmão.
          Como Simão Pedro reconheceu em Jesus o Mestre antes do milagre dos peixes? Como ele reconheceu ali em seu barco, Alguém mais experiente que ele? Lembre-se que quando Jesus Cristo ensinava a multidão do barco de Pedro, certamente ele deveria estar atento aos ensinamentos do Mestre,
          Pedro está agora reconhecendo quem realmente era Jesus e quão pecador ele era e nós somos. O pecado de Pedro e nem os nossos podem ficar escondidos da presença de Jesus. Quando reconhecemos que é o Senhor e quem realmente somos, Jesus pode nos confortar e dizer para nós “não tenha medo” (Lc 9:10).
          Pedro abriu mão de tudo o que ele tinha, deixou sua “microempresa”, deixou o comércio de peixes para seguir a Jesus. E ele O seguiu por aproximadamente três anos e meio. O seguiu lado a lado e passou a fazer parte do circulo mais intimo dos discípulos de Jesus ao lado de Tiago e João.
          Agora podemos entender claramente o porque da pergunta de Jesus, no inicio dessa reflexão. No próximo estudo iremos aprofundar o questionamento: “Tu me amas”?
         

  • Afirmativa-Chave:Jesus nunca chamou para o Seu Ministério ninguém desocupado. O Senhor sempre irá nos desafiar nas áreas em que mais temos habilidade para nos mostrar o quanto precisamos dEle

  • Pergunta Padrão:O que eu tenho que abrir mão para conhecer mais e mais a Jesus?



Gilvan Silva Santos, servo do Deus Altíssimo em espírito, alma e corpo (I Tes5:23)
Itabuna-Bahia 08.05.2013 (09h20min)
[gilvansilva00@hotmail.com; (73) 9191-0910; 8825-1811]
Siga-me no Twitter: http://twitter.com/Gilvan1973_BA

Nenhum comentário:

Postar um comentário