Data

Animação


"Não tolere o que a Bíblia reprova" (Gilvan, 15.05.2005)

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Alimento Bíblico Semanal 36: O Segredo para a Vitória - "Não ore de acordo com o óbvio"


         Paulo conhecia as dificuldades que os cristãos de Éfeso estavam sofrendo. Essa cidade era o centro da idolatria pagã da época e centro de culto a Ártemis ou Diana, que eles diziam ser grande, conforme registrado em Atos 19:28: “Ouvindo isto, encheram-se de furor e clamavam: Grande é a Diana dos efésios!”. No ataque que os companheiros de Paulo sofreram nessa cidade, Paulo ao invés de orar pedindo proteção e livramento, ele orou pra que houvesse progresso e desenvolvimento espiritual na unidade dos efésios: “Por isso, também eu, tendo ouvido da fé que há entre vós no Senhor Jesus e o amor para com todos os santos, não cesso de dar graças por vós, fazendo menção de vós nas minhas orações, para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele, iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder; (Ef 1:15-19).
          Mesmo nos importando com o que a pessoa está passando, devemos fazer orações em favor do Reino. Essas orações devem ser feitas para que a situação contribua para estreitar o relacionamento da pessoa com Deus. O apóstolo Paulo sempre orava para que o caráter das pessoas fosse em conformidade com a verdade do Evangelho; que as pessoas se parecessem mais com Jesus com sabedoria, discernimento e vida abundante no Espírito Santo. Novamente ele orou pelos efésios dizendo: “para que, segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito no homem interior; e, assim, habite Cristo no vosso coração, pela fé, estando vós arraigados e alicerçados em amor, a fim de poderdes compreender, com todos os santos, qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus.  (Ef 3:16-19).
        É muito difícil, em reuniões de oração, vê alguém pedindo pelo crescimento espiritual de outro cristão. Normalmente já vamos com uma lista cheia de pedidos, como se estivéssemos indo ao supermercado e queremos resposta imediata da oração. Como precisamos orar para “que o vosso amor aumente mais e mais em pleno conhecimento e toda a percepção, para aprovardes as coisas excelentes e serdes sinceros e inculpáveis para o Dia de Cristo, cheios do fruto de justiça, o qual é mediante Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus. (Fp 1:9-11)
         Uma mudança tremenda irá ocorrer quando tivermos uma profunda compreensão do amor de Cristo de tal forma que cada um amasse os outros, sem preconceitos, barreiras ou distinção.
         O Reino de Deus precisa ser prioridade em nosso meio. Tenho presenciado constantemente na igreja que congrego depois do culto alguns irmãos trocando informação sobre a rodada do Campeonato Brasileiro, agora o assunto que está “bombando” é a política, ou sobre outros assuntos longe do Reino. Grande parte não compartilha o que Jesus fez em sua vida ou falou através da ministração. Parece que falta assunto sobre as “coisas do Pai!”
         Devemos sempre que formos orar buscar a direção de Deus para saber como Ele quer que nós oremos; isso implica em algo novo na nossa forma de orar por uma necessidade. Em qualquer situação, devemos ter o hábito de sempre ouvir a voz do Espírito sussurrando o “como devemos orar sobre algo”; isso é viver na total dependência do Espírito Santo.
          A oração genuína sempre começa em Deus e não nas nossas próprias necessidades. Quando o foco é nossa própria necessidade, a oração fica voltada para nós mesmos e na nossa própria vontade em busca do resultado.
          Jesus nos disse: “buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6:33) e essa é grande chave para orações respondidas: O Reino de Deus deve ser nossa prioridade.
          Nenhuma oração, por mais bela e impressionante que seja, mudará a vontade soberana de Deus e não deve ser usada para impressionar os outros sobre nossa suposta espiritualidade. Precisamos, urgentemente, alinhar nossos propósitos com o propósito de Deus e não tratar Deus como se Ele fosse o “gênio da lâmpada” e nós o seu amo.
  •  Afirmativa-Chave: A oração genuína sempre começa em Deus e não nas nossas próprias necessidades. Quando o foco é nossa própria necessidade, a oração fica voltada para nós mesmos e na nossa própria vontade em busca do resultado.
  • Pergunta Padrão:  Como posso fazer O Reino de Deus minha prioridade?
Gilvan Silva Santos, servo do Deus Altíssimo em espírito, alma e corpo (I Tes 5:23)
Itabuna-Bahia 01.10.2012 (07h54min)
[gilvansilva00@hotmail.com; (73) 9191-0910; 8848-3714; 9995-4551]
Siga-me no Twitter: http://twitter.com/Gilvan1973_BA





Nenhum comentário:

Postar um comentário