Data

Animação


"Não tolere o que a Bíblia reprova" (Gilvan, 15.05.2005)

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Alimento Bíblico Semanal 35: Como Vencer a Dor?


           A dor faz parte da experiência de todos nós. Ela pode ser grande, pequena, visível ou não. As situações rotineiras da vida produzem dor em maior ou menor escala que às vezes pensamos em desistir de tudo e de todos.
          Sem querer me deter na origem da dor e nem discorrer sobre processos psicológicos ou mecanismos da dor, quero apenas apresentar uma certeza: nossa “dor” pode se tornar uma porta para ajudar os outros, se aprendermos a tirar proveito daquilo que passamos como sendo permitido por Deus e ferramenta para sermos mais eficazes no serviço de nosso Rei. Ter conhecimento a respeito de Deus é bom, mas o melhor é experimentar a Presença Dele ao nosso lado na hora da angustia.
          Como foi forjado no sofrimento o Homem que venceu a Cruz. Até hoje as palavras de Jesus alicerçam nosso coração e me encoraja a viver em função dEle porque Suas palavras vinham diretamente do céu. Ele pagou um alto preço, “tentado em todas as coisas, à nossa semelhança” (Hb 4:15).
          É sempre assim: nos momentos de dificuldades nos aproximamos mais de Jesus. O apóstolo Pedro fazia parte do ciclo mais íntimo de discípulos de Jesus, junto com Tiago e João, mas começou a afundar quando tirou ou olhos de Jesus e os colocou nas “ondas agitadas” do mar. O relato dessa experiência está registrado em Mateus 14:22 à 32: “Logo a seguir, compeliu Jesus os discípulos a embarcar e passar adiante dele para o outro lado, enquanto ele despedia as multidões. E, despedidas as multidões, subiu ao monte, a fim de orar sozinho. Em caindo a tarde, lá estava ele, só. Entretanto, o barco já estava longe, a muitos estádios da terra, açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário.   Na quarta vigília da noite, foi Jesus ter com eles, andando por sobre o mar. E os discípulos, ao verem-no andando sobre as águas, ficaram aterrados e exclamaram: É um fantasma! E, tomados de medo, gritaram. Mas Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais!   Respondendo-lhe Pedro, disse: Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas. E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus. Reparando, porém, na força do vento, teve medo; e, começando a submergir, gritou: Salva-me, Senhor! E, prontamente, Jesus, estendendo a mão, tomou-o e lhe disse: Homem de pequena fé, por que duvidaste? Subindo ambos para o barco, cessou o vento.
          Pedro estava se saindo muito bem, chegou a caminhar por sobre as águas, até que, sentindo o “vento forte” teve medo. Ele fez o que eu e você fazemos freqüentemente, na hora da “dor forte”, tiramos o olhar de Jesus e o colocamos nos problemas. Mas Pedro chegou tão perto e o Senhor Jesus estava tão próximo que bastou estender a Mãos antes que a onda afundasse Pedro. Pedro não ficou parado, ele saiu da “zona de conforto”. Sai do conforto do barco. Molhou os pés e teve fé para acreditar que o mesmo Poder que mantinha Jesus andando sobre as águas, também podia mantê-lo.
         A dificuldade, a dor, a provação permitem experiência de aproximação com Cristo, antes que sejamos derrotados; basta caminhar, não importa o tamanho de sua dor, basta pedir socorro, basta estender a mão e tocar na mão do Mestre. Ele sempre está disposto a nos socorrer. Não resista ao toque do Espírito Santo – conte para Deus sua vida, conte para Deus a sua dor.
          Permite que o seu sofrimento, sua dor seja veiculo para Deus falar às pessoas e mostrar a eficácia de Seu Poder pela Sua Palavra. Em meio a dor terrena o consolo celestial é real nos braços de Jesus.
          Nem sempre Deus remove a dor de forma imediata; o sofrimento deixa marcas que precisam se relacionadas com a Cruz de Cristo, senão virarão cicatrizes. Quando a dor bater em sua porta, deixe Cristo entrar junto com ela; não seja auto-peidoso achando que sua dor é maior que a dos outros.
          Agora mesmo, quando estou digitando essas linhas, estou passando por uma “dor muito grande” que se eu não posso permitir que abale as estruturas do meu ser ou “contamine” minha família. Sei que a dor tem um propósito no plano de Deus para minha vida.
         Paulo teve bastante intimidade com o sofrimento e descreveu um ciclo essencial  para termos um vida plena e de poder. Esse ciclo está registrado em 2 Coríntios 1:3-10: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus. Porque, assim como os sofrimentos de Cristo se manifestam em grande medida a nosso favor, assim também a nossa consolação transborda por meio de Cristo.Mas, se somos atribulados, é para o vosso conforto e salvação; se somos confortados, é também para o vosso conforto, o qual se torna eficaz, suportando vós com paciência os mesmos sofrimentos que nós também padecemos. A nossa esperança a respeito de vós está firme, sabendo que, como sois participantes dos sofrimentos, assim o sereis da consolação. Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida.   Contudo, já em nós mesmos, tivemos a sentença de morte, para que não confiemos em nós, e sim no Deus que ressuscita os mortos; o qual nos livrou e livrará de tão grande morte; em quem temos esperado que ainda continuará a livrar-nos”. Eu também posso proclamar, em qualquer lugar, que Deus é mais do que suficiente para qualquer dor, pois eu já recebi provisão sobrenatural no meio de uma grande angústia e dor pessoal que passei quando sofri um acidente automobilístico em fevereiro de 2012. Estou vivo devido ao Poder de Jesus que me conduz em triunfo.
          Não aceite a mentira de Satanás dizendo que Deus não está preocupado com seu sofrimento. É na tribulação que nosso caráter é forjado e que o Senhor Deus mostra seu amoroso cuidado. Para Deus a dor tem valor e serve para envergonhar o diabo, mostrando a bondade de Deus, de tal forma que “sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Rm 8:28). No sofrimento, Deus nos equipa e enche o nosso vaso de barro da excelência de Seu Poder. Que conforto temos em Deus!.
         Deus desejo que, em meio a dor, a crise, a tribulação, perigo, confiemos nEle que é maior do que qualquer sofrimento. Toda dor tem um limite; essa nos levará a compreender a nossa impotência e a depender da Fonte de Inesgotável de Vida; precisamos nos aproximar de Deus; nosso poder, socorro, provisão. Resista até o seu limite, sempre confiando em Deus que tudo pode fazer por nós que somos pobres necessitados.
         Se você se considera “um nada”, saiba que o Senhor é especialista em transformar o nada em alguma coisa. Lembre-se que Ele fez o Universo do nada. Tudo aquilo que existe foi feito do que não é aparente. A nossa dor, só será uma porta eficaz para os outros se estivermos totalmente conscientes de nossa própria impotência.
         Longe de mim querer supervalorizar a dor, mas elas fazem parte do agir de Deus em nossa vida; existem duas situações diametralmente opostas: a profundidade da dor e a altura da consolação de Deus. Não tenha vergonha ou medo por estar passando pela dor. Aceite a dor como treinamento de Deus para a sua vida.
          A angústia e a desesperança assolam muitas pessoas e espero que você não esteja nesse grupo. Saiba que ainda há esperança: Jesus morreu e ressuscitou por você e Ele não espera nada de você além de que estenda a sua mão e com fé se aproxime dEle , nosso Lugar de Descanso.
          Jesus, o Filho de Deus, pode e quer mudar sua historia. Permita que Ele o faça.
  •  Afirmativa-Chave:Se você se considera “um nada”, saiba que o Senhor é especialista em transformar o nada em alguma coisa. Lembre-se que Ele fez o Universo do nada. Tudo aquilo que existe foi feito do que não é aparente. A nossa dor, só será uma porta eficaz para os outros se estivermos totalmente conscientes de nossa própria impotência.
  • Pergunta Padrão: Como posso fazer com que a dor que tenho passado seja uma porta eficaz para o meu próximo?
Gilvan Silva Santos, servo do Deus Altíssimo em espírito, alma e corpo (I Tes 5:23)
Itabuna-Bahia 01.10.2012 (10h59min)
[gilvansilva00@hotmail.com; (73) 9191-0910; 8848-3714; 9995-4551]
Siga-me no Twitter: http://twitter.com/Gilvan1973_BA







Nenhum comentário:

Postar um comentário