Data

Animação


"Não tolere o que a Bíblia reprova" (Gilvan, 15.05.2005)

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Vivendo a Unidade do Corpo de Cristo II

Perseguição e lutas produziram crescimento na Igreja Primitiva_. 

Em meio a tamanha perseguição, o apóstolo Paulo não se viu desamparado. Certa noite, os discípulos de Jesus o desceram através de uma abertura no muro, e Paulo pôde escapar para não morrer (At 9:30); *Deus sempre irá nos livrar se estivermos dispostos a sofrer por Ele* 

_Como é difícil vivenciar isso em nossa prática: sofrer pelo Evangelho._ 

 Parece que Paulo entendia que sua carreira espiritual seria marcada pelo sofrimento e pelas decepções (2 Cor 11:30). 

Jesus nos disse: _"no mundo tereis tribulações... (Jo 16:33)_. 

Entretanto, o Senhor sempre esteve com Paulo e também está conosco até a consumação dos séculos (Mt 28:20). 

Quando, por fim, Paulo retornou a Jerusalém, de acordo com Gálatas 1:18, três anos depois de sua conversão, achou difícil ser aceito pela igreja e viver a unidade do corpo de Cristo. 

De modo particular ele desejava ver Pedro (Gálatas 1:18), mas nem Pedro nem ninguém queria vê-lo. 

Teriam ouvido a respeito de sua conversão, mas a partir de então talvez houvessem ouvido muito pouco, ou nada, a seu respeito. 

Não estavam muito seguros a respeito de Paulo. 

Na verdade, não acreditavam que fosse discípulo, e é natural que tivessem medo dele. No começo de seu ministério, Paulo não portava cartas de recomendação como ocorreu mais tarde (Atos 18:27). 

Hoje, *somos recomendados por Jesus!.... Que grande privilégio o nosso*. 

E alguns não dão valor a isso. *Mas será que já somos realmente, Cartas de Cristo? (II Cor 3:3)* 

A unidade do corpo de Cristo avançava, e em Atos 9:27, está registrado que Barnabé trouxe Paulo  consigo, e levou-o aos apóstolos. 

De que forma Paulo e Barnabé entraram em contato um com o outro, ou por que Barnabé agora se dispôs a ajudá-lo, sinceramente eu não sei, mas *vejo o agir de Deus também nessa situação, são os arranjos do Senhor*. 

É possível que a explicação esteja simplesmente no tipo de pessoa que Barnabé era; homem temente a Deus, cheio de fé. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário