Data

Animação


"Não tolere o que a Bíblia reprova" (Gilvan, 15.05.2005)

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Estudo III – A Calmaria da Decisão Necessária (Jonas 1:13-16)


  • O próprio Jonas pede para ser lançado ao mar, pois ele sabia ser a causa da tempestade: 
*      Lance fora tudo que é prejudicial e que cause tempestades à sua vida
  •  Os marinheiros estavam apavorados em meio à tempestade;
*      De todas as formas possíveis, os marinheiros tentam salvar o navio e suas próprias vidas (inclusive a de Jonas) (v.13)
*      Quanto mais eles remavam, mais os mar se “enfurecia”. Não se pode lutar contra Deus. Não se pode fazer o navio retornar à terra sem a presença de Deus
*      O mar não se acalmará enquanto não jogarmos fora o nosso “Jonas”
  • Jonas havia declarado estar fugindo do Deus Criador;
  • Jonas reconhece sua culpa em função de sua fuga e sabe que tem que deixar o navio para que outros não “afundem” junto com ele
  • A tempestade só aumenta, e os marinheiros deixam de lado suas crenças, seus falsos deuses e clamam pelo Deus Verdadeiro (v.14):
*      Qual tem sido o seu comportamento quando se está no meio da crise;
*      Você sabe em quem você tem crido (II Tim 1.12)? Mostre aos seus problemas o tamanho de sua fé e do seu Deus;
  • Os marinheiros clamam a Deus e reconhecem Sua soberania e Poder para salvar suas vidas e não querem ser culpados pela morte de Jonas
  • Quando Jonas mergulha dentro de si mesmo, o mar se acalma e as pessoas ao seu redor desfrutam paz
  • Jonas é lançado ao Mar e ocorre uma calmaria inusitada:
*      Nenhuma tempestade é eterna, quando nos dispomos a lançar fora nossa incredulidade, nossos preconceitos, nossos erros, aquilo que julgamos ser importante. O mar cessará quando obedecemos a Deus!...
  • Porque o próprio Jonas não se lançou ao Mar?
*      Ele não tinha força ou não tinha coragem para ser lançar ao mar sozinho;
*      Também pode ser evidente que sempre precisamos uns dos outros
  • A ação de Deus foi evidente e os marinheiros tiveram suas vidas marcadas para sempre (v.16);
  • O poder de Deus nos causa temor e a necessidade de adorar a Deus por aquilo que Ele é:
*      Quais tipos de votos podem ser feitos quando somos salvos da tempestade (v.16). (Sal 104:33); Garantiremos servir ao Senhor enquanto vivermos?
  • A decisão de nos lançarmos dentro de nós mesmos levá-nos a consciência do nosso eu, de nossos orgulhos e de quem realmente somos:
*      Conhecemos muito pouco de nós mesmos. Temos muito atitudes e intenções ocultas.
  • Deus sabe de nossos erros e nos convida e mergulhar dentro de nós mesmos (a volta é interior):
*      Deus não tratou Jonas na superfície (Ele mergulhou nas profundezas do mar – no ventre do grande peixe);
*      O Senhor nos convida a aprofundarmos no Mar de nossas vidas, no nosso próprio ser. Não podemos resistir a esse convite de mergulhar no mais “íntimo momento de nós”. Nesse contexto, o “mar” representa o nosso “eu”;
*      A realidade de nosso mundo interior pode mudar radicalmente nosso mundo exterior – quando aprendermos a ouvir a “voz do coração”
  • O perfil de Jonas é o de alguém que perdeu o sentido da vida:
*      Jonas perdeu o sentido da vida quando achou que a solução dos seus problemas vinha de fora e não de dentro de seu coração;
*      É um homem em processo de auto-destruição
  • A intenção de nosso coração facilmente é revelada?
*      Onde está o seu coração? (Mt. 6.21)
Ø  Escola Bíblica Dinâmica (EBD) – II Semestre 2008
Ø  Tema do Semestre: Mergulho no Ser - Estudos no livro de Jonas
Ø  Igreja Batista Teosópolis. Gilvan Silva Santos, servo do Deus Altíssimo em espírito, alma e corpo (gilvansilva00@hotmail.com; 73 8848-3714; 9995-4551; 9191-0910)


Nenhum comentário:

Postar um comentário