Data

Animação


"Não tolere o que a Bíblia reprova" (Gilvan, 15.05.2005)

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Evite que seu filho seja mandado para o inferno.


          A família deve funcionar como uma escola de formação, onde a criança recebe os primeiros princípios para a vida, as marcas que determinarão sua personalidade. É o lar, mais do que qualquer outra instituição, que providência e modela os fatores que determinarão a personalidade e o caráter.
          A intenção de qualquer família que serve ao Senhor Jesus é educar os filhos rigorosa e conscientemente no “caminho da salvação” (At. 16:17) para que eles escapem da realidade eterna e atormentadora que é viver eternamente longe da presença de Deus, no inferno.
          O conselho do sábio Salomão é: Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele” (Pv 22.6). Um grande erro de alguns pais hoje é querer ensinar o caminho do céu para seus filhos. A Bíblia não manda ensinar "o caminho", mas ensinar "no caminho". Parece não ter diferença, mas há. Pode se ensinar o caminho sem se estar nele? A criança vai observar o exemplo dos pais. Não adianta ensinar o caminho do céu, do temor do Senhor, da obediência a Palavra, se não andamos nesse caminho. A maneira mais eficaz de ensinar nossos filhos a andar no caminho santo é andar juntamente com eles. À medida que ensinamos vamos aprendendo também. Assim eles se sentirão motivados a caminhar tendo a companhia dos pais. Não resta dúvida de que o testemunho fala mais alto do que qualquer ação. Se quisermos ver nossos filhos como bons servos de Deus, teremos que ser bons servos de Deus primeiro. Eles nos observarão e seguirão nosso exemplo. Aqui vale o exemplo de Jesus, nosso mestre: tudo o que Ele ensinou aos discípulos, Ele fazia antes.
          Na condição de pais precisamos vivenciar o conselho dado pelo sábio Salomão em Pv. 22:6: ao ensinar as verdades bíblicas aos nossos filhos isso resultará em fidelidade a Deus por toda a vida, mesmo que haja desvios. Esse ensino implica dedicação e estímulo. Essa tarefa não é função da escola secular, ou exclusividade da escola bíblica dominical. É função nossa, de qualquer pai comprometido com as verdades da Palavra de Deus. Não devemos educar nossos filhos segundo essa ou aquela corrente pedagógica, nem segundo nossas próprias inclinações pessoais, que naturalmente são pecaminosas. Com essa educação, nossos filhos podem ser arruinados definitivamente.
          A arma principal de Satanás é o engano. Ele tem prazer em ocultar a verdade e mascarar a mentira para que ela se pareça com a verdade. Ele é perito em destruir lares, usando sua bomba n°1: a mentira (foi assim no Éden). Quando ele consegue afastar uma família da verdade, ele destrói o alicerce desse lar e por causa disso, muitas famílias têm perdido os padrões de moral, de ética e de decência e a sociedade está se desestruturando.
          Gostaria de apresentar algumas sugestões que serão úteis, para nós, enquanto pais, na educação e correção de nossos filhos. Em nossas igrejas percebo o quanto têm sido difícil vivenciar a orientação de Pv 22:6: “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele”. E também por ser educador, tenho visto em minha prática secular, a total desestruturação de valores que precisam ser “ensinados” na família.
         A Bíblia nos recomenda falarmos sempre a verdade em amor (Ef. 4:15). Um ambiente familiar que gratifica e satisfaz tanto pais como filhos é aquele onde existem orientação e direção com segurança, respeito e amor, onde sempre se fala a verdade, provendo assim a paz indispensável ao convívio familiar. O alvo dos pais cristãos deve ser educar seus filhos na verdade, para que eles sejam estáveis e maduros (I Co. 13:11: Ef 4:13-14)
          Agora, quero apresentar algumas orientações que devem ser seguidas pelos pais:  
  • 1.     Antes de tudo, primeiramente você mesmo deve conhecer os Princípios de Deus, a Verdade que liberta; Ensine estes princípios (eles são a única e perfeita fundação para o real sucesso do homem!). Ensine com todo o seu esforço e paciência; Não entristeça o Espírito (Gn. 18:16-19, I Tm. 3:4-5, Tt. 1:6; II Tm. 3:14-15, Sl. 19:7, Ef 4:27).
  • 2.     Seja um exemplo vivo de fidelidade ao Senhor, em palavras e ações; as crianças seguem exemplos. Seu filho será o adulto de amanhã e vai repetir as coisas que você faz hoje. Você é o agente de transformação responsável pelo adulto que seu filho se tornará. (Ef. 6:4)
  • 3.     Comece a administrar a disciplina cedo. Pai e mãe devem aplicar a disciplina juntos; (Pv. 13:24, Pv 23:13-14,Pv. 22:15; 29:15).
  • 4.     Estipule penalidades severas pela mentira e não a deixe passar sem lidar com ela; (Pv 29:17, Jo 8:44)
  • 5.     Permita a criança entender porque está sendo punida (Pv 29:15; Jó 6:24).
  • 6.     Permita que seus filhos ouçam você expressar louvor e adoração ao Senhor, mesmo nas crises. (Hb 13:15)
  • 7.     Dê a seu filho DVDs, CDs e livros com conteúdos edificantes. Ofereça-se para ouvir musicas com eles e as avaliem juntos; (Ef 5:3-4, Fl 4:8)
  • 8.     Preocupe-se com as amizades de seu filho. Faça com que seus filhos se sintam bem em receber os amigos no próprio ambiente de casa, mas não tire a liberdade deles.  (Pv 13:20, Ef. 2:2).
  • 9.     Leia e explique a Bíblia para seus filhos constantemente (Dn 12:3)
  • 10.  Ensine seu filho a orar e o ajude os agradecer a Deus pelo alimento, pela vida, pela família, pela escola, pelos amiguinhos, por tudo. Ensine sobre a importância de orarem em nome de Jesus e o que isso significa (Jo 14:13-14)
  • 11.  Sejam constantes nos cultos domésticos diários (Dt. 6:1-7 ,II Tim. 1:3-5; I Tim 4:6);
  • 12.  Demonstre carinho e afeto; abrace e beije seus filhos; diga como eles são especiais e que a existência deles é importante para você; (Ef 4:32).
  • 13.  Ore e abençoe seus filhos, ensinando-os a não darem lugar ao diabo (Pv 11:11,Pv. 22:6,  Ef. 4:27)
  • 14.  Ensine seu filho sobre a importância de levar uma vida com boa índole e boa moral (Pv. 20:11).
  • 15.  Encoraje seus filhos e não prejudique a autoconfiança deles; (Cl. 3:21).
  • 16.  Explique que não se pode ter tudo o que se deseja e esteja preparado para reforçar essa afirmativa freqüentemente; (I Jo 2:15-17)
  • 17.  Ouça seus filhos; (Pv.15:1; 18:13, 21:9, Ec. 3:7,Tg 1:19)   
  • 18.  Honre seu cônjuge na presença de seus filhos em cada oportunidade que tiver; seja exemplo de vida a dois
  • 19.  Aja rapidamente quando houver desrespeito ou palavras imorais da parte de seus filhos;
  • 20.  Esteja pronto a admitir seus erros e recomece partir daí; (Sl 127:1-3; Pv 3:5).
  • 21.  Assuma o compromisso de não deixar seu filhos passando horas a frente da TV ou do computador;
  • 22.  Monitore o acesso de seu filho a redes de relacionamentos, ao Orkut e MSN e salas de bate-papo;
  • 23.  Não deixe a TV educar seus filhos: mantenha os olhos abertos aos desenhos animados e nos games violentos;
  • 24.  Converse com filhos sobre temas polêmicos como aborto e eutanásia;
  • 25.  Ensine seus filhos sobre a santidade diária e o valor de seus corpos como templo do Espírito Santo; (Rm 12:1-2, I Cr 6:15-19,Is 48:17-18).
  • 26.  Prepare emocional e espiritualmente seus filhos para lidar com relacionamentos e com o sexo oposto. Jamais encare o sexo como um assunto sujo, responda honestamente qualquer pergunta que seus filhos tenham sobre o assunto;
  • 27.  Fique ligado em noticiais para discutir com seus filhos, em especial as historia das pessoas que cultuam e adoram as riquezas; mostre os exemplos bons e justifique quando os exemplos forem ruins;
  • 28.  Não vá ao culto deixando seu filho em casa. Comece a fazer as coisas direito, levando seus filhos à igreja;
  • 29.  Ensine seus filhos a ser reverentes, mas não seja autoritário. Ajude-os a perceber que a adoração, o culto é uma atitude de coração, não do exterior; (Ec 5:1)
  • 30.  Incentive sobre a prática da mordomia cristã: dízimos e ofertas; e sobre a ordenança bíblica: batismo e ceia (Mq 6:8)
  • 31.  Oriente seu filho, de forma prática, de como proceder em situações específicas, de problemas reais. (Pv. 24:27)
  • 32.  Proveja discernimento sobre a natureza humana, sobre a historia do cristianismo, sobre as seitas e heresias, sobre termas diversificados. Existem bons livros de histórias e bibliografias já preparadas com este fim,
  • 33.  Não sobrecarregue a agenda de seus filhos para que se ocupem e de certa forma não sintam tanto sua falta; não queira escolher a profissão deles; não crie filhos estressados e nunca o sufoque com atividades excessivas.
  • 34.  Brinque de verdade: criança gosta de brincar e a brincadeira fica mais divertida quando os pais participam É possível ter mais tempo com seus filhos. Trata-se apenas de criar novos hábitos e inserir atividades simples na sua rotina. Não adianta ficar se culpando; encontre uma forma de conseguir equilibrar essas funções. Demonstre interesse pelo mundo de seus filhos: aproveite cada momento e faça brincadeiras, sobre o que querem fazer de bom, sobre o que não está bom, sobre os amigos ou qualquer outra coisa. Isso mostra seu interesse pela vida deles e elimina a lacuna de comunicação que muitas vezes criamos entre nós e nossos filhos.
  • 35.  Compareça às reuniões da escola: não existe nada mais triste para seu filho do que se preparar durante semanas para fazer uma apresentação e constatar sua ausência, enquanto os pais de todos os colegas estão lá. Isso é cruel. Se você não conseguir ir, converse com seu filho e peça a uma pessoa da família de quem ele goste muito que a represente. Ninguém substitui você, mas isso dará apoio à criança.
  • 36.  Ajude seu filho na lição de casa: para participar da vida de seu filho, você deve lhe dar apoio quando ele precisa e demonstrar sempre paciência e disposição para ajudá-lo. Tenha preocupação com o desempenho escolar
Conclusão:
          Querido pai não deixe que seu filho faça parte da população do inferno. Todavia, se seguirmos a pedagogia estabelecida pelo Senhor e ensinarmos aos nossos filhos o evangelho eterno, nossos filhos herdarão o céu por toda a eternidade, e a nossa aliança com o Senhor permanecerá por gerações. Não fazer nada apela educação religiosa de nossos filhos é uma atitude errada (Gn 18:19).
          Podem acreditar, o maior desejo de Deus, é que devolvamos os nossos filhos, a herança que Ele nos deu (Sl 127:3), no dia da volta de Cristo. Para isso é preciso que busquemos a sabedoria que vem do alto. Deus em seu infinito amor nos mostrou como agir, como falar como os nossos filhos e como ensiná-los no caminho que conduz à eternidade. O propósito de Deus é que os filhos sejam fontes de bênçãos. É responsabilidade dos pais ensinar e educar seus filhos no caminho do Senhor. Um relacionamento sadio entre pais e filhos é indispensável para o progresso espiritual destes. Não basta sermos pais precisamos ser amigos de nossos filhos. Quando o filho não vê em seu pai ou mãe um amigo, ele vai procurar em outra pessoa aquilo que não encontra em nós.
          Podemos tirar lições importantes de exemplos bíblicos para apontar os perigos do extremismo, seja nas restrições, seja na permissividade (Gn. 4:1-9, I, Jz 11: 30-40, Sm 2:12-17; 22-25; 3:13,14; 4:11-22). Nem sempre é fácil equilibrar esses dois extremos e diferentes filhos têm diferentes necessidades.
          Devemos orar ao Senhor e examinar nossos métodos de educação dos filhos à luz dos princípios bíblicos (Sl 105.4). Além do mais, nunca perca as esperanças (Ec 11:6). Mesmo que nossos filhos estejam desviados ele retornará, como na parábola do filho pródigo (Lc 15:22-32).
          Finalizando, temos o dever de instruir nossos filhos no caminho certo (do Senhor) para que ao crescerem não se desviem jamais. Que Deus dê graça e sabedoria a todos os pais e mães, inclusive a mim, para sabermos criar nossos filhos como verdadeiros servos de Deus! A Ele a honra e Glória. Amém.
          Em Cristo,
                         Gilvan Silva Santos, gilvansilva00@hotmail.com (73) 8848-3714; 9191-0910 9995-4551. (16.02.2009)

Nenhum comentário:

Postar um comentário